Estimule a autoconfiança das crianças

Antes de entender como podemos estimular a autoconfiança nas crianças, precisamos compreender o que favorece a insegurança e o medo, bem como suas consequências para os pequenos.

Muitos pais, na intenção de proteger os filhos, acaba os amedrontando além da medida com falas como: “não faça isso ou aquilo que é perigoso” “não saia de perto dos seus pais, não confie em estranhos” “Não corra, se não vai se machucar” “Não faça isto deste jeito, assim tá errado” “Se você fizer isso o Bicho Papão vai te pegar”. Não estou dizendo aqui que devemos sujeitar as crianças a riscos efetivos, mas devemos ser cautelosos em nossas colocações. Se a cada momento em que a criança se expõe de alguma forma ela é tolhida, desencorajada, pode desenvolver várias crenças limitantes de que o mundo é cruel e perigoso, que devemos nos fechar para nos proteger, ou que criança não pode ter vontade própria ou ainda a crença mais enfraquecedora de todas: “não sou bom o suficiente!”

Queremos que as crianças sejam quietas e obedientes e não nos damos conta de que podemos estar estimulando pessoas submissas e acríticas que fazem as coisas em função apenas da solicitação do outro, necessitando de aprovação constante.  Por isso precisamos tomar consciência para seguir novos caminhos e estimular as crianças em vez de tolhê-las a maior parte do tempo.

Aprender exige ousadia e coragem, aprender significa desafiar o que é novo, encarar o que é imprevisto, se lançar para conhecer algo. A curiosidade, a persistência em desejar algo, a tomada de iniciativa, que são características importantes na vida adulta, muitas vezes são podadas na infância como “deixa de ser curioso, menino” “você é teimoso mesmo, não obedece”, “quem disse para você fazer isso? Alguém te autorizou?”

As experiências repetidas na infância e aquelas vivenciadas de forma mais intensa, viram registros no inconsciente e se tornam modelos padrão de funcionamento, por isso é extremamente importante encorajar as crianças, fazer com que se percebam capazes, leva-las a refletir sobre suas ações desenvolvendo a capacidade de análise e reflexão sobre os resultados sem sermos punitivos e castradores.

A dica para estimular a autoconfiança é permitir e confiar que a criança faça suas atividades cotidianas, mesmo que tenha pouca habilidade para tal, com autonomia. Conviver com o erro, ou com a limitação é um grande desafio para os pais, mas que tem que ser um exercício diário de respeito ao desenvolvimento saudável dos pequenos. Para desenvolver a autoconfiança, os adultos devem antes de mais nada, lidar com a insegurança pessoal de que a criança pode fracassar ou com a extrema necessidade de que elas acertem sempre e sejam extremamente excelentes em tudo que fazem.

Quando a criança apresentar medo, resistência em realizar alguma atividade, divida a tarefa em etapas menores e que se aproxime do seu nível de habilidade encorajando-a a superar cada etapa por vez. É essencial encorajar a criança a sair da zona de conforto dando pequenos passos graduais oportunizando experiências de sucesso ou lidando com a frustração a cada etapa.

Frases de empoderamento em casa e na escola também ajudam muito. Afirmações como “admiro a sua força de vontade” “Confio que você vai encontrar a melhor alternativa para resolver isso” “Não deu certo dessa vez mas você deu um passo a mais para conseguir em outro momento”

Faça exercícios de visualização pedindo que a criança imagine, ou se recorde de algum momento de sucesso e superação resgatando assim, a nível corporal, o sentimento de autoconfiança já vivenciados. Peça que feche os olhos e lembre de uma situação específica de encorajamento por exemplo quando conseguiu andar de bicicleta pela primeira vez ou quando venceu o medo de entrar na água fria de uma piscina. Mostre a ela que o desafio inicial é só uma etapa para uma conquista maior.

Se você é professor baixe o ebook ” Frases de empoderamento para sala de aula” e utilize as sugestões para contribuir efetivamente com a elevação da autoconfiança dos seus alunos.

Crianças autoconfiantes tem iniciativa, são mais criativas, enfrentam desafios, tem maior resiliência, são tolerantes com os próprios erros, relacionam-se melhor com as outras pessoas e não se desestruturam completamente diante de uma frustração. Invista tempo de qualidade junto às crianças empoderando-as sempre que possível, os resultados são maravilhosos!

 

 

2 Comentários
  1. Denize Sueli de Oliveira 3 meses atrás

    Gostei muito do que li, tenho grandes interesse pela física quântica. Conheci a pedagogia quântica em um curso c Elainne Orives ( ótima ).
    E por ser pedagoga me interesso muito dobre o assunto gostaria de fazer o curso.
    Grata Denize Dueli.

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2018 Todos os direitos reservados para Pedagogia Quântica.

Desenvolvido por BSB Connect.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?