Dica prática para trabalhar as emoções na sala de aula

criança emoções

Já sabemos que os nossos pensamentos e sentimentos criam a nossa realidade. Sabemos que a nossa emoção na maioria das vezes está relacionada a memórias negativas que geram comportamentos automatizados. Então o que fazer para gerenciar melhor tudo isso?

Aqui vai uma dica simples porém muito eficaz!

Há algum tempo venho desenvolvendo o projeto de Pedagogia Quântica em uma escola pública aqui em Brasília e os resultados tem sido bastante animadores. Tenho explicado aos alunos como é o nosso funcionamento cerebral, como são constituídas as nossas memórias, como as nossas reações podem vir à tona sem que tenhamos controle delas;

Fizemos vivências para que eles pudessem perceber isto na prática. Criei uma situação divertida onde eles levaram um grande susto e puderam sentir corporalmente o que acontece quando que estamos numa situação de perigo como coração acelerado, respiração ofegante, tensão muscular…  Expliquei também que os maiores perigos que estamos enfrentando hoje não são perigos reais e sim imaginários e esses perigos imaginários se tornam reais para nossa mente que manda o comando do medo para o nosso corpo. Por isso ficamos agitados, nervosos, impulsivos! Todos nós, professores, pais, alunos.

Partimos então para identificar nossos estados emocionais e em que momentos eles são desencadeados. Apresentei alguns emotions (carinhas de alegria, tristesa, raiva, medo, susto) e eles foram relatando como sentiam no corpo estas emoções. Concluímos que o nosso corpo reage de acordo com a emoção que estamos vivendo.

Fizemos os relatos orais e registros escritos de situações vivenciadas e as emoções despertadas por elas como: “Eu senti raiva quando minha mãe não me deixou brincar com meus amigos” ou “eu fiquei triste quando meu avô ficou doente”. Depois em duplas puderam partilhar suas vivências. Essa estratégia de relato oral é muito importante e como nós professores não temos tempo suficiente para ouvir todas as colocações, é legal possibilitarmos que façam isso em duplas e deixar que tragam à consciência e nomeiem seus sentimentos.

Concluímos que todas as emoções são importantes e fazem parte do nosso funcionamento. Também perceberam que precisamos nos observar com mais cuidado para perceber o que está acontecendo e deixar que essas emoções passem naturalmente sem causar maiores problemas para todos. Para isso podemos usar a estratégia de respirar, prestar atenção no corpo e deixar que a sensação negativa passe como uma nuvem do céu.

Elegemos uma cadeira do autocontrole que fica num cantinho da sala com duas plaquinhas, uma vermelha e uma verde. Deixei que nomeassem a cadeira  e surgiram várias sugestões até escolhermos uma: cadeira mágica, cadeira da tranquilidade, cantinho do silêncio, cadeira de ouvir o coração… Quando alguém sente que uma emoção ruim está atrapalhando o seu desempenho na sala, vai para a cadeira, pega a placa vermelha, que é para que os colegas não interfiram na situação, fecha os olhos, fica sentado imóvel apenas respirando até que a sensação de mal estar passe e ele possa sinalizar com a placa verde de que ficou tudo bem.

Esta atividade é bastante desafiadora, e até que consigam usar a cadeira de modo consciente através da autorregulação, leva um tempo. É importante lembrar que não é uma cadeira punitiva ou de castigo, mas um espaço de desenvolvimento da percepção corporal e autocontrole para ser usada de forma natural. É bom ficar claro também que a decisão de ir para cadeira deve partir do próprio aluno e não uma ordem do professor.

Vale muito a pena experimentar, mas para que essa proposta seja efetiva é preciso que o professor experimente antes na sua vida pessoal. Consiga perceber os seus diferentes estados emocionais durante o dia e usar estratégias de autocontrole. Só depois poderá fazer a proposta para a turma pois assim o professor entenderá o grau de dificuldade bem como os benefícios dessa prática. Assim fica mais fácil de compreender o seu aluno.

Experimente e compartilhe com a gente a sua vivência colocando aqui nos comentários a sua percepção desta proposta. Vamos em frente com confiança Quântica!

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2018 Todos os direitos reservados para Pedagogia Quântica.

Desenvolvido por BSB Connect.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?