Coincidências ou Sincronicidades?

sincronicidade2

Já parou para pensar nas coincidências? Este é um fato corriqueiro nas nossas vidas e que nos causa certa surpresa mas, quase nunca paramos para refletir sobre o porquê destes acontecimentos.

Algumas vezes, andando pela rua, encontramos alguém conhecido e nos damos conta: “Nossa, me lembrei de você estes dias” ou “ que coincidência, queria mesmo falar com você.” Ou ainda, você recebe o telefonema do seu filho no mesmo momento em que pensou nele. Sai às compras e se depara exatamente com aquilo que estava precisando comprar. Está pensando em algo e aparece um livro, programa ou vídeo na internet que fala justamente sobre aquele assunto…

Coincidência?

Segundo o dicionário, coincidência significa “igualdade, identidade de duas ou mais coisas” e “ocupação do mesmo espaço; justaposição”. O significado a palavra é bastante correlato ao que hoje a física quântica define com Sincronicidade.

Experimentos da física quântica comprovam que partículas subatômicas mesmo separadas por grandes distâncias, continuam interagindo entre si, mesmo sem apresentar algo que as conecte. Um experimento que ilustra esse tipo de conexão foi realizado pelo neurofisiologista, Jacobo Grinberg. Ele colocou duas pessoas meditando juntas com a intenção clara de estabelecerem sintonia sem contato físico ou conversa entre um e outro. Depois de estabelecida essa conexão uma delas ficou em uma cabine que isolava totalmente qualquer tipo de sinal eletromagnético. Ao expor uma das pessoas a flashs de luz foram estimuladas algumas regiões cerebrais e  a segunda pessoa teve as mesmas regiões ativadas mesmo sem ter sido exposta à luz, ou seja,  a atividade elétrica de um cérebro foi transferida para outro cérebro, sem conexão ou contato elétrico nenhum.

Temos aí a comprovação de que as nossas mentes atuam fora dos nossos corpos, em uma dimensão que não se limita ao tempo e ao espaço. Atraímos e manifestamos aquilo que pensamos e sentimos. Só que fazemos isto a maior parte das vezes de maneira inconsciente, sem nos darmos conta desta habilidade que pode ser provocada conscientemente.

O que é necessário para que isso ocorra então de uma forma mais palpável e concreta? É necessário que nos libertemos completa e absolutamente de padrões mentais que nos bloqueiam como as dúvidas, incertezas, medos… São estes estados mentais que nos impedem de manifestar o que desejamos. Quando somos capazes de sair da ansiedade pelos resultados, sair dos mecanismos de julgamento do ego e sair da compreensão absolutamente material a respeito dos fatos, estaremos dando um passo a mais nesta capacidade inata do ser humano. Saberemos nos comunicar de forma muito mais profunda e efetiva, sem linguagem oral ou qualquer outro tipo de sinal.

Quando amamos profundamente alguém essa comunicação se estabelece naturalmente. Quando estamos apaixonados por exemplo, sabemos o que o outro vai dizer mesmo antes de ele se expressar. Podemos olhar para os nossos filhos e saber exatamente o que estão sentindo…  O grande desafio agora é treinarmos essa habilidade. Precisamos conhecer  profundamente o funcionamento do nosso corpo, estar atentos aos pensamentos e sentimentos e perceber a sua atuação sutil nos eventos externos. Só assim poderemos direcioná-los intencionalmente!

Para os educadores essa é uma habilidade muito poderosa. Estar em sintonia profunda com seus alunos, perceber naturalmente quais são as suas maiores necessidades e como contribuir efetivamente com o desenvolvimento pleno de cada um, é a solução mágica para muitos desafios que nos deparamos na escola.

Temos muito que aprender, temos muito a descobrir… existe mais entre o céu e a terra do que podemos imaginar! Vamos juntos nos empoderarmos destes novos conceitos e possibilidades.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2018 Todos os direitos reservados para Pedagogia Quântica.

Desenvolvido por BSB Connect.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?